Vida e obra nos textos retrospectivos de Nietzsche Show all records where Título is equal to Vida e obra nos textos retrospectivos de Nietzsche
Adriany Ferreira de Mendonça Show all records where Autor is equal to Adriany Ferreira de Mendonça
UFRJ/PPGF Show all records where Instituição is equal to UFRJ/PPGF

Em 1886, Nietzsche volta a atenção sobre sua obra até então publicada, e inicia um movimento de reavaliação do percurso delineado pela sequência de seus escritos. Talvez motivado pelo exercício empreendido na escrita de A gaia ciência, e que atinge o seu ápice com a conclusão do seu Zaratustra, ele parece gradativamente ter mais clareza sobre o que seria o sentido de sua obra - aquilo que com frequência ele costuma designar a partir de então como a sua tarefa. A elucidação do que seria tal tarefa para seus leitores tende a funcionar, em certa medida, como uma exigência que paira sobre os escritos que se seguem. Curiosamente, a troca de editor, motivada pelo desejo de se distanciar o máximo possível de qualquer possibilidade de associação de seu nome ao nascente movimento nacionalista e antissemita, lhe garantiu a chance de reeditar todos os livros anteriores ao Zaratustra. Impulsionado pelo cruzamento desses fatores, Nietzsche redige então novos prefácios para O nascimento da tragédia, Humano, demasiado humano e Aurora. Opiniões e sentenças diversas e O andarilho e sua sombra são agora editados em um único volume como uma segunda parte de Humano, demasiado humano, que leva o título de Humano, demasiado humano II, para o qual também é escrito um prefácio. A gaia ciência recebe um tratamento ainda mais notável: além do novo prefácio, acrescentam-se uma quinta parte e um conjunto de poemas intitulado -Canções do príncipe Vogelfrei-, publicadas a título de apêndice. O esforço de redação destes cinco prefácios lhe permite empreender um primeiro balanço de seus livros previamente publicados, e, através deste, extrair elementos que possam ser incorporados à plena realização daquela que está prestes a ser anunciada como sua tarefa. Este movimento retrospectivo se radicaliza e se amplia em Ecce Homo, a autobiografia escrita em 1888. Aqui, não apenas é intensamente explorado, já desde os primeiros capítulos, o vínculo entre vida e obra como uma importante chave de compreensão para o movimento do pensamento de Nietzsche, como também, sob o influxo dessa ótica, são redigidos capítulos dedicados ao balanço de cada um dos escritos que em 1888 compõem o conjunto da obra. O objetivo deste trabalho é discutir de que maneira Nietzsche, nos textos em investe em uma reavaliação de seus escritos, estabelece um vínculo íntimo entre vida e obra como uma importante chave de compreensão do movimento de seu pensamento. Com este gesto, ganham relevo conceitos como os de amor fati e grande saúde, e a incitação à ultrapassagem do campo de valorações comuns através de sua concepção da vida como obra de arte. Neste sentido, analisaremos em que medida os cinco prefácios em questão e autobiografia de Nietzsche cumpririam o papel de projetar um filtro sobre aqueles escritos que ainda não haviam sido redigidos sob o signo da transvaloração de todos os valores com o objetivo de sintonizá-los com o pensamento ao mesmo tempo crítico e afirmativo mais radical de Nietzsche.

NIETZSCHE Buscar Grupo igual a NIETZSCHE
Dia 22 | Segunda | Auditorio| 15:45-16:15
CT 6
22/10/2018
FaLang translation system by Faboba