Uma concepção dialética e hegeliana da história da música Show all records where Título is equal to Uma concepção dialética e hegeliana da história da música
Adriano Bueno Kurle Show all records where Autor is equal to Adriano Bueno Kurle
UFMT Show all records where Instituição is equal to UFMT

Neste trabalho apresento uma visão dialética do movimento histórico da música, buscando compreender o desenvolvimento da música erudita ocidental por meio de uma concepção hegeliana. Para tanto, foco no desenvolvimento da sintaxe tonal, tratando das suas características básicas e do seu desenvolvimento em três fases: o barroco, o classicismo e o romantismo. A partir de uma lógica centrada na relação entre consonância e dissonância, entre repouso e movimento, representadas pela relação entre os graus harmônicos I e V7, desenvolve-se o tipo de sintaxe tonal, que torna-se dominante e praticamente naturalizado (incluindo aí um processo filosófico de justificação deste modelo por meio da teoria de Rameau e pela relação entre estrutura das relações entre notas e acordes e a composição natural do som - os seus harmônicos). Com isso, o desenvolvimento histórico da música erudita ocidental alcança a saturação do tonalismo. A partir deste momento, surge o dodecafonismo de Schoenberg, que (junto com sua teoria harmônica e sua concepção teórica da escuta musical) pode ser considerado uma superação (no sentido hegeliano do Aufhebung) da concepção tonal, centrada na dialética entre consonância e dissonância, a partir do comportamento de escuta que Schoenberg chamou de “escuta impressionista” e da emancipação da dissonância (essa última interpretada aqui como a própria superação do modelo que contrapõe consonância e dissonância, transformando o som em diferenças intensivas, em vez de qualificá-lo em tipos consonantes ou dissonantes na sua relação). A ideia de Schoenberg também parte da análise do som natural e seus harmônicos, mas concebe que esses harmônicos devem ser considerados na sua amplitude (em vez de apenas considerar os primeiros e mais audíveis), e que a ampliação da compreensão da escuta do som envolve a compreensão cada vez mais ampla dos harmônicos que compõem o som (fazendo com que a história da escuta musical seja a de trazer cada vez mais intervalos e relações harmônicas para o âmbito do compreensível e da “aceitação consonante”, até que a relação consonância-dissonância seja substituída por uma concepção que compreende de modo mais específico a diferença dos sons, superando a classificação dual). Defendo a ideia de que a concepção teórica de Schoenberg amplia a compreensão musical, de modo a abarcar tanto a compreensão da música tonal quando do modelo dodecafônico, sendo justamente esta expansão de significado o exemplo apropriado para o que Hegel concebeu como o trabalho de Aufhebung da razão especulativa.

Dialética Buscar Grupo igual a Dialética
Dia 23 | Terça | Sala 16 |14:00-14:30
IC 3
23/10/2018
FaLang translation system by Faboba