A "guinada sistêmica" no conceito de eticidade: da intersubjetividade jenense à institucionalização berlinense Show all records where Título is equal to A
Cleiton Gil Barbosa Show all records where Autor is equal to Cleiton Gil Barbosa
UFMG Show all records where Instituição is equal to UFMG

A presente comunicação pretende apresentar uma hipótese de interpretação acerca dos ganhos teóricos que a “guinada sistêmica” promove no pensamento de Hegel no que se refere ao conceito de eticidade (sittlichkeit). “guinada sistêmica” se refere à mudança de perspectiva operada no pensamento hegeliano entre o período de Jena e Berlim acerca da compreensão da eticidade e a estruturação interna de sua “filosofia do espírito”. Já por ganhos teóricos, se quer significar a abrangência da capacidade descritiva da sociedade que aquela mudança possibilitou no que se refere às determinações de liberdade em voga na mesma e, principalmente, à consequente institucionalização destas determinações na compreensão da eticidade. Para tais fins, detém-se ao texto “esboço de sistema de 1805-1806” (esboço) como representante da eticidade jenense e ao “princípios da filosofia do direito” (filosofia do direito) para a expressão da eticidade berlinense. O esboço para Habermas (técnica e ciência como ideologia) revela a formação da consciência universal da eticidade segundo explicitação de progressivas experiências intersubjetivas. Avineri (hegel s theory of modern state) aponta para o fato de que o que forma a subseção “constituição” abarca tanto o que depois vai ser nomeado de “espírito absoluto” quanto a eticidade segundo divisões de classes de trabalho. Beckenkamp (o jovem Hegel) aponta uma transformação na concepção de eticidade a qual não mais remete ao reconhecimento operado entre sujeitos (i.e., intersubjetividade), mas antes entre os sujeitos e as estruturas sociais nomeadas de “trans-subjetivas”. Adotando como parâmetro tais balizas, o esboço revela as experiências progressivas da consciência singular rumo à universal, sendo que nesta última é ausente uma descrição precisa do que constitui as determinações modernas de liberdade. Resta, assim, para a eticidade apenas uma descrição de estamentos sociais vinculados ao trabalho (inferior e superior, i.e., particular, como estamento dos camponeses e burgueses, e estamento universal de políticos e militares) inarticulados com o papel que desempenham a liberdade individual na sociedade. Um exemplo das consequências desta descrição insuficiente é a ausência do conceito de “sociedade civil”. Nesse sentido, estabelece-se a hipótese de que a eticidade mais fecunda é a exposta na filosofia do direito a qual descreve quais são as determinações de liberdade das quais se estrutura a experiência social moderna. Por esta linha, para Hegel, a vontade livre configura-se segundo estruturas gerais imprescindíveis à própria autocompreensão de liberdade do sujeito; estas estruturas são identificáveis nas instituições da eticidade, a saber, família, sociedade civil e estado. Argumenta-se que somente tal institucionalização da liberdade trans-subjetiva possibilita descrever, ao lado da existência da sociedade civil, a garantia de universalidade e equidade da liberdade como acesso a estruturas institucionais básicas.

Hegel Buscar Grupo igual a Hegel
Dia 24 | Quarta | Sala 4|15:45-16:15
IC 3
24/10/2018
FaLang translation system by Faboba