Terrorismo: uma análise conceitual. Show all records where Título is equal to Terrorismo: uma análise conceitual.
Breno Tannús Jacob Show all records where Autor is equal to Breno Tannús Jacob
UFU Show all records where Instituição is equal to UFU

Para se entender o conceito de terrorismo contemporaneamente, é importante dispor que, na tradição da filosofia política, em que pese o entendimento do terror como modo de ação para atingir objetivos políticos, o marco temporal e teórico está na revolução francesa (1789 – 1799). Foram os jacobinos que instituíram o reino de terror de forma autônoma e sistemática, com o fim de atingir objetivos políticos específicos, principalmente o de destituir a monarquia e instaurar a república, inspirada nas ideias iluministas. Nesse ínterim, os revolucionários utilizavam da violência e de execuções para atingir seus objetivos, contra aqueles considerados como inimigos do povo, o que será explorado em nosso trabalho na dicotomia amigo-inimigo, de Schmitt. Terrorismo é um conceito debatido na filosofia contemporânea, e podemos afirmar que ainda não há um consenso sobre a sua definição, tanto no âmbito acadêmico e, muito menos no âmbito midiático, pois é utilizado de diversas formas para qualificar atos de diferentes naturezas, o que esvazia de significado o sentido da palavra, eis o por quê da nossa tentativa de clarear o conceito no âmbito da filosofia política. O autor Igor Primoratz será utilizado em nosso trabalho como ponto de partida para a definição do terrorismo, pois em seu artigo “What is terrorism” (1990), ele chegou à uma definição, que, em síntese, é a seguinte: terrorismo é o uso deliberado da violência ou a ameaça de seu uso contra pessoas inocentes, no intuito de obter algum objetivo político específico. Será abordado qual o valor da palavra “inocente” no conceito de terrorismo, é importante salientar que a definição não leva em consideração aspectos como ideologia, religião ou, estritamente, o autor do ato, podendo ser aplicado em diversas manifestações dessas naturezas. a dicotomia amigo-inimigo político de Schmitt será abordada em nosso trabalho. O autor desenvolveu esse conceito na obra “o conceito do político” (1932). conforme a tradição do autor de levar as ideias e conceitos até as últimas consequências, em nosso trabalho o terror e terrorismo serão explorados levando em conta os danos físicos que causaram e potencialmente causam a qualquer sociedade em que tais práticas sejam adotadas. concluindo, tendo como ponto de partida o conceito de terrorismo obtido por Primoratz, o nosso trabalho busca investigar como esse fenômeno (que também utiliza da coação, terror, ameaça, entre outros meios violentos) se manifesta no mundo. Para isso, utilizaremos como suporte o conceito de amigo-inimigo de Schmitt, o totalitarismo moderno estudado por Agamben, o absurdo em Camus, além de autores como Hannah Arendt e Leo Strauss, e a tradição filosófica política de estados modernos. O terror aqui abordado poderá ter origem em qualquer sociedade, partindo tanto do estado quanto da sociedade civil, em guerrilhas ou grupos religiosos, bem como indivíduos isolados.

Desconstrução, linguagem e alteridade Buscar Grupo igual a Desconstrução, linguagem e alteridade
Dia 24 | Quarta | Sala 201 |16:45-17:15
CTI
24/10/2018
FaLang translation system by Faboba