Após receber mais de 234 documentos com críticas e novas propostas à Base Nacional Comum Curricular, espécie de guia de referência sobre o que deve ser ensinado nas escolas públicas e particulares do país, representantes do Ministério da Educação admitiram nesta quinta-feira (9) que o documento deverá passar por mudanças. Mas negam que haja alteração nos prazos.
Folha S. Paulo
Visite o site
FaLang translation system by Faboba