Qualis para a área de Humanas
Rachel Gazolla
Faculdade de Filosofia de Sāo Bento, SP
02 Jun 2015

Colegas,

Sobre os critérios Qualis, já discutimos como editores, em anos anteriores, a resistência da CAPES em abrir perspectivas diferentes para elencar outras formas de exigência para as as revistas da área de humanas, especificamente para as de Filosofia. 

Sou editora responsável da revista HYPNOS, de filosofia antiga, Qualis B1. As indexaçōes q esta revista já tem e as formalidades a que se vê obrigada a cumprir sāo absolutamente, em sua maior parte, inconsistentes. Por exemplo, números de artigos por volume, extensa redaçāo sobre as regras éticas da publicaçāo adequadas a revistas biológicas, etc., exigèncias se,pre mais quantitativas que qualitativad que nāo se encontram nas melhores revistas internacionais de filosofia. Um artigo pode ser curto, médio, largo... importando a qualidade e a decisāo editorial.

Exigir certos indexadores que analisam a forma e nāo o conteúdo de uma revista, e que leva um ano para dar um parecer a respeito, e que levará mais um ano se uma pequena regra sem grande importância para nossa área nāo estiver presente entre as outras - caso da Scopus e Scielo, por exemplo - deixa o editor sem possibilidade de ajuda financeira diante do CNPq.  Mais ainda, de conseguir o apreço de seus leitores porque nāo tem, eventualmente, uma "carimbo" de "legitimidade". espantoso, no mínimo!

As áreas de Humanas no Brasil devem procurar qualidade nas publicaçōes - e há internacionalmente paradigmas para isso, sem tanta correria por indexadores pré-determinados que nāo têm grande validade  para a filosofia- , o que os "critérios Qualis" estāo permitindo até agora, infelizmente, é o cerceamento das ediçōes.

Todas as areas da filosofia têm revistas modelares para seguir. Entāo o horizonte é claro:

a. Elencar as revistas modelares para cada área filosófica ( e nossos pares podem fazer isto)

b. Apontar os pontos fundamentais que fazem de uma revista de filosofia,  um modelo

c. reformular os critérios exigidos à pplevando em conta a especifidade de cada área, sem misturar com os critérios das áreas de exatas e biolögicas, que não nos servem

d. Atentar, na qualificaçāo, ao fato de que uma produçāo em filosofia nāo pode, nem deve, ter a temporalidade de um processo de pesquisa em laboratório, e exigir muitas punblicaçoes ao ano ou muitos artigos por volume é temerário.

Por agora, é o que tenho a dizer.

Rachel Gazolla


FaLang translation system by Faboba