AGENDA ANPOF
  • EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO DA DIRETORIA DA ANPOF -

    GESTÃO 2021-2022

    Pelopresenteedital,fica a comunidade representada pelaANPOFASSOCIAÇÃONACIONALDEPÓS-GRADUAÇÃOEMFILOSOFIAconvocadaparainscriçãodechapasqueconcorrerãoàseleiçõespara anovaDiretoriadaANPOF(Gestão2021/2022),deacordocomasnormasprevistasnoEstatuto da ANPOF (http://www.anpof.org/portal/images/Documentos/Estatuto_Social_-_ANPOF_2013.pdf) e o disposto no presente edital.

    LEIA MAIS

  • DIVULGADOS TRABALHOS INDICADOS AO PRÊMIO ANPOF E PRÊMIO FILÓSOFAS

    Teses e dissertações em Filosofia têm a possibilidade de serem reconhecidas por meio de dois prêmios da área, neste ano: o prêmio Anpof e, pela primeira vez, o prêmio Filósofas. A Associação Nacional de Pós-graduação em Filosofia recebeu indicação de 27 dissertações e 17 teses defendidas em 2020. Em um trabalho de parceria, a Anpof e a Rede Brasileira de Mulheres Filósofas lançaram o Prêmio Filósofas neste ano, que recebeu indicação de 33 dissertações e 18 teses de mulheres defendidas entre 2017 e 2020. Todos os trabalhos foram indicados pelas coordenações dos Programas de Pós-graduação em Filosofia associados.

    LEIA MAIS

  • EDITAL DO PRÊMIO ANPOF 2020

    É com grande satisfação que damos início ao processo de inscrições para a edição 2020 do Prêmio ANPOF de melhor dissertação e de melhor tese defendidas nos Programas de Pós-Graduação em Filosofia do Brasil. Esta é uma grande oportunidade para prestigiarmos nossos melhores trabalhos acadêmicos e divulgarmos nossa produção filosófica.

    LEIA MAIS

  • PRÊMIO FILÓSOFAS

    Rede Brasileira de Mulheres Filósofas e a Diretoria da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (ANPOF) tornam pública a edição 2020 do Prêmio Filósofas de Distinção Acadêmica em Mestrado e Doutorado, referente a dissertações e teses defendidas entre 2017 e 2020. 

    LEIA MAIS

  • ADIAMENTO DO XIX ENCONTRO NACIONAL DA ANPOF - INSCRIÇÕES SUSPENSAS

    A diretoria da Anpof, após consulta aos Programas de Pós-graduação em Filosofia, comunica o adiamento do XIX Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF, devido à pandemia do novo coronavírus.

    LEIA MAIS

  • INSCRIÇÕES E SUBMISSÕES SUSPENSAS E CONSULTA À COMUNIDADE SOBRE O XIX ENCONTRO ANPOF

    Considerando os desdobramentos da pandemia em nosso país e o cenário de dificuldades nos países que já passaram pelo momento crítico da COVID-19, a diretoria da Anpof e a comissão organizadora do XIX Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF definiram por suspender a partir de hoje as inscrições e as submissões para o encontro e consultar a comunidade sobre os encaminhamentos futuros.

    LEIA MAIS

  • NOTA - XIX ENCONTRO ANPOF E A PANDEMIA PROVOCADA PELO CORONAVÍRUS 

    Estamos acompanhando com profunda atenção os desdobramentos da pandemia provocada pelo coronavírus em nosso país. Os eventos acadêmicos previstos para o 1º semestre têm se mostrado inviáveis, considerando as previsões das autoridades competentes e os acontecimentos nos países onde a pandemia encontra-se em seu ápice como a Itália, e em declínio, como a China. Hoje mesmo foi suspensa a 72ª Reunião Anual da SBPC, prevista para ocorrer entre 12 e 18 de julho na UFRN, em Natal.

    LEIA MAIS

  • APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO DO XVIII ENCONTRO NACIONAL DE FILOSOFIA DA ANPOF

    O XVIII Encontro Nacional da ANPOF foi realizado em outubro de 2018 na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em Vitória/ES, e contou com mais de 2 mil participantes com suas respectivas apresentações de pesquisa, tanto nos Grupos de Trabalho da ANPOF quanto em Sessões Temáticas.

    LEIA MAIS

banner quadrado periodicos 2019 E
 
BANNER FORUM-HOME3
 
03 COLUNA
CLIPPING ANPOF
msc-gt

face      YOUTUBE ANPOF

rss      twiiter

Revista Limiar - Dossiê Nietzsche

Chamada de artigos

Dossiê Nietzsche: antagonismos e a necessidade do ilógico
Org. Henry Burnett


Passadas algumas poucas décadas desde que os primeiros leitores acadêmicos de Nietzsche no Brasil estabelecessem um conjunto de princípios de interpretação, quase sempre ancorados numa sólida tradição europeia, resta hoje a impressão de que a recepção brasileira da obra do autor de Humano, demasiado humano não tem uma única face. Isto não significa que grandes teses, livros e artigos não tenham sido escritos e que não se tenha consolidado algo que possamos chamar de “tradição” – ainda que ela pareça tão uniforme quanto o país onde se desenvolveu. Dito de outro modo, talvez seja uma forma enviesada de lembrar o quanto a “filosofia dos antagonismos” de Nietzsche, tão bem dissecada por Wolfgang Müller-Lauter, forma a base de nossa recepção, e de como essa influência acabou resultando em algo como uma “recepção antagônica” entre os pares brasileiros. Ainda é cedo para avaliar o prejuízo ou a virtude desta falta de unidade, que nem sempre expressa apenas discordâncias de interpretação. Este dossiê aspira por um tipo de conciliação, dentro de um ambiente cindido. 

Considerando a extensão temática da obra de Nietzsche, seria no mínimo imprudente organizar um número temático da revista privilegiando a ética, a estética ou a crítica à moral, entre tantos outros recortes possíveis dentro de uma obra multifacetada e tendente ao paradoxismo como é a de Nietzsche; ou ainda um recorte dentro desta ou daquela linhagem de intérpretes. Optou-se em propor algumas possibilidades, ou antes aproximações, listadas abaixo, que devem falar por si mesmas e apontar alguma direção para a reunião definitiva de colaborações que, esperamos, possa chegar das mais variadas direções. Todas as sugestões, é preciso deixar claro, devem funcionar apenas como indicações, ficando o dossiê inteiramente aberto para outras abordagens. 

Além dos artigos, as resenhas e traduções serão igualmente benvindas, na medida em que reforçam a recepção brasileira em dois de seus pontos mais frágeis: no primeiro caso, a falta de comunicação e leitura entre os pares; no segundo, a inexistência de uma edição crítica dos escritos de Nietzsche, o que acaba exigindo o trabalho de “tradução infinita”, e sempre desigual, de sua obra – nos dois casos, é também uma forma de dizer que precisamos aceitar as limitações de nossa contribuição à chamada Nietzsche-Forschung, que costuma ser citada assim mesmo, auf Deutsch, a denotar seriedade e ofuscar a distância.

Esperamos que este dossiê possa se aproximar um dos grandes ensinamentos de Nietzsche em relação ao exercício filosófico, expresso, em um dos momentos mais fecundos de sua obra, na tensão com Descartes – de quem foi capaz de se apaixonar pelo método e pela paixão do conhecimento sem abandonar a probidade de sua própria tarefa:

“§ 31. O ilógico necessário . — Entre as coisas que podem levar um pensamento ao desespero está o conhecimento de que o ilógico é necessário para o homem e de que do ilógico nasce muito de bom. Ele está tão firmemente implantado nas paixões, na linguagem, na religião e em geral em tudo aquilo que empresta valor à vida, que não se pode extraí-lo sem com isso danificar irremediavelmente essas belas coisas. São somente os homens demasiado ingênuos que podem acreditar que a natureza do homem possa ser transformada em uma natureza puramente lógica; mas se houver graus de aproximação desse alvo, o que não haveria de se perder nesse caminho! Mesmo o homem mais racional precisa outra vez, de tempo em tempo, da natureza, isto é, de sua postura fundamental ilógica diante de todas as coisas” (Humano, demasiado humano, tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho).


Sugestões: 

Nietzsche e a tradição metafísica 
Nietzsche e a herança paulina 
Nietzsche crítico da cultura 
Nietzsche e a arte de seu tempo 
Nietzsche e o Brasil 
Nietzsche e a Teoria Crítica 

Prazo para submissão: 30 de setembro de 2017 
Informação - submissão: hmburnett@gmail.com  | henry.burnett@unifesp.br

FaLang translation system by Faboba