Historicidade, comunidade e violência
UNIFESP
oferreiraalexandre@gmail.com

Ao contemplar a discussão das relações entre história, violência e comunidade, o programa do colóquio Heidegger define um campo de investigação amplo, a ser abordado a partir de diferentes perspectivas teóricas. Por certo, o problema da relação entre filosofia e política desponta em primeiro plano, mas mesmo sob este aspecto a temática permite investigações diferenciadas e mesmo contrapostas: por um lado, é evidente que o engajamento de Heidegger junto ao nacional-socialismo instiga inúmeras questões críticas quanto à sua interpretação e quanto a seus limites teóricos. Por outro lado, a filosofia heideggeriana também tem inspirado a reflexão de pensadores políticos contemporâneos como Roberto Esposito e Jean-Luc Nancy, dentre outros, os quais têm procurado repensar a noção de comunidade, afastando-a dos vínculos teóricos que tão amiúde amarraram filosofia e violência, em função de interesses políticos comunitários. Ademais, o programa do colóquio ainda sugere investigações a respeito do modo como Heidegger repensou filosoficamente a história, tanto no momento da ontologia fundamental, quanto após a viragem, como reconsiderou a questão da violência, da polis,do ser-com e da poesia, para mencionar apenas alguns tópicos de interesse, dentre outros possíveis.

O tema do Colóquio Heidegger do presente ano também possui grande importância, na medida em que coincide com a recente publicação de três volumes da Obra Completa, os Schwarze Hefte (Cadernos Negros). Estes livros têm promovido uma grande movimentação investigativa e crítica nos meios especializados, especialmente em relação com temas políticos ligados à obra e à vida de Heidegger. Neste sentido, a coordenação do evento organizou uma mesa redonda com o editor dos três volumes recentemente publicados, o prof. Peter Trawny, de Wuppertal, assim como os professores Angel Xolocotzi (México), Luís Rossi (Argentina), Alexandre Franco de Sá (Portugal) e Ernildo Stein (PUC-RS), renomados pesquisadores na temática referente à relação entre ontologia e política na Obra de Heidegger.

Além da mesa redonda e dos palestrantes indicados no programo, a programação do XIX Colóquio Heidegger inclui  a realização de Comunicações (selecionadas por uma comissão de avaliação dos trabalhos submetidos).

 


23 Out 2014 > Ocorrido há 2167 dias
23 Out 2014 - 25 Out 2014
01 Ago 2014 - 01 Set 2014
23 Out 2014

Programação completa do XIX Colóquio Heidegger.

 

Quinta-feira 23/10/2014

Inscrições e abertura: 8:45-9:30

9:30-11:30

1.Luis Rossi (Buenos Aires/Argentina): Ser y Tiempo y la fenomenología de la comunidade

2.André Duarte (UFPR): Jean-Luc Nancy leitor de Heidegger: a comunidade como problema.

14:00 – 16:00

3.Sandro Sena (UFPE): A ambiguidade da Fundamentalontologie. Heidegger entre o histórico e o transcendental

4.Acylene Cabral Ferreira (UFBA): A temporalidade como fundamentação da história

5.Alexandre de Oliveira Ferreira (UNIFESP): História do ser e totalitarismo.

16:30 – 18:30

6.Nelson Souza Júnior (UFPA): Linguagem, Estado e Ser-aí: Heidegger e o confronto com Hegel.

7.Alexandre Franco Sá (Coimbra/Portugal): Heidegger e a política da diferença ontológica

 

Sexta-feira 24/10/2014

10:00-12:00

8.Fernando Fragozo (UFRJ): Arte e Política em A Origem da Obra de Arte.

9.Tito Marques Palmeiro (PUCRJ): Dor e Historicidade no Poema.

10.Paulo Cesar Duque Estrada (PUCRJ): No limiar do hiper-histórico: Derrida leitor de Heidegger.

14:00-17:00

Mesa: Os Cadernos Negros.

11.Angel Xolocotzi (Puebla/México): Metafísica, otro inicio y nacionalsocialismo.

12.Peter Trawny (Wuppertal/Alemanha) : Heidegger, Metapolytik und Weltjudentum.

13.Ernildo Stein (PUCRS): título a confirmar

 

17:30-18:10

14.Edgar Lyra (PUCRJ): Violência e plasticidade: esboço para uma retomada topológica da questão da violência.

 

Sábado 25/10/2014

10:00-12:00

15.Róbson Ramos dos Reis (UFSM): primado da segunda pessoa e sacrificio.

16.Éder Soares Santos (UEL): Do envolver-se como método para a ciência do homem.

17.Marco Casanova (UERJ): Violência, tempo e velocidade: abismo e destruição no pensamento tardio de Martin Heidegger.

Encerramento


Anfiteatro do Hospital do Rim – Rua Borges Lagoa, 930, São Paulo – SP

Prof. Dr. Alexandre de Oliveira Ferreira

As Comunicações terão até vinte minutos para a sua apresentação, com mais dez minutos para discussão com o público. Aceitaremos preferencialmente aquelas comunicações sobre Heidegger que estejam ligadas ao tema do Colóquio (Historicidade, comunidade e violência), mas não exclusivamente. 

Os interessados em fazer Comunicações devem enviar seus trabalhos até o dia 01/09/2011. Basta enviar uma página de rosto, na qual devem constar em português: nome completo do autor, título e resumo (max. dez linhas) e, além disso, um mini-currículo (max. dez linhas) – (arquivo: documento Word 97 ou superior; formato: Times New Roman 12; entrelinha: simples).

As Comunicações que tiverem sido aprovadas estarão automaticamente inscritas no Colóquio. A lista dos trabalhos selecionados será divulgada até 01/10/2014, por e-mail, diretamente aos candidatos.

Ao público que quiser se inscrever no colóquio sem apresentação de trabalhos, as inscrições serão feitas durante a abertura do colóquio no dia 23/10/214 das 8:45 às 9:30

A Comissão Organizadora solicita o envio da página de rosto (resumo e mini-curriculo):

Para: Prof. Dr. Alexandre de Oliveira Ferreira  Endereço eletrônico: oferreiraalexandre@gmail.com


Pós-Graduação em Filosofia da UNIFESP; GT- Heidegger-ANPOF; CAPES; CNPQ; Sociedade Brasileira de Fenomenologia

 


FaLang translation system by Faboba