A atualidade de Marx e as lutas sociais no séc. XXI
Seminário Nacional Marx200 – 1968+50
ICHL-UNIFAL
seminarionacionalmarx200@gmail.com

Resumo

O evento Marx200 – 1968+50: a atualidade de Marx e as lutas sociais no século XXI é uma proposta nascida dentro da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), em especial pelo Grupo de Pesquisa Filosofia, História e Teoria Social e pelo Grupo de Estudos sobre a Juventude de Alfenas, a ser realizado em parceria com o Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais e o campus Poços de Caldas da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Por ocasião dos 200 anos do nascimento de Marx, lembrado em 5 de maio de 2018, e dos 50 anos das lutas sociais de 1968, o evento tem o objetivo de discutir tanto as contribuições e a atualidade do pensamento de Marx após 200 anos do seu nascimento, como também rememorar, reconhecer e debater as lutas sociais realizadas pelos movimentos sociais e estudantis em 1968, no Brasil e no mundo. Por meio de conferências, mesas redondas, grupos de trabalhos e minicursos, busca-se criar espaços de diálogos e discussões que pautem a vida e a obra de Marx, suas contribuições teóricas para as Ciências Humanas e a atualidade do seu pensamento e da sua perspectiva revolucionária no século XXI. Da mesma forma, busca-se nesses espaços debater as histórias e experiências de luta por direitos, emancipação e liberdade, organizadas pelos movimentos sociais em 1968 no mundo, destacando-se principalmente as experiências das lutas sociais e estudantis que marcaram o Brasil naquele ano. Nesse sentido, o evento poderá contribuir tanto para a troca de ideias e experiências de pesquisas que envolvam o pensamento de Marx e as experiências de luta e organização social dos movimentos de 1968, como também proporcionar espaços de formação e diálogo entre estudantes, professores e movimentos sociais e estudantis organizados. Justifica-se a realização do evento não só pela pertinência dos temas que serão tratados e debatidos junto à comunidade acadêmica e movimentos sociais, mas também porque ele integra um conjunto de atividades e eventos que estão sendo organizados mundialmente, pautando tanto os 200 anos do nascimento de Marx quanto os 50 anos das lutas sociais que sacudiram diversos países, no mundo todo, em 1968. Portanto, o Seminário se justifica ainda, porque é a oportunidade da UNIFAL-MG participar de um circuito de eventos sobre a temática, com parcerias interinstitucionais com outras Universidades, promovendo o intercâmbio intelectual e científico entre pesquisadores nacionais e internacionais, estudiosos sobre a obra de Marx e sobre os movimentos sociais e estudantis de 1968.

 

 

 

Objetivos

 

Objetivo Geral

Dentro do ciclo mundial de comemorações dos 200 anos do nascimento de Karl Marx, assim como dos 50 anos das lutas sociais de 1968, o evento pretende discutir a atualidade do pensamento marxista e marxiano no século XXI, bem como debater as histórias e experiências de luta dos movimentos sociais e estudantis de 1968, no Brasil e no mundo. 

 

Objetivos Específicos

1) Criar espaços de diálogo e discussão teórica sobre a obra e o pensamento de Marx, suas contribuições para as Ciências Humanas e sua atualidade no século XXI;

2) Criar e desenvolver espaços de diálogos e debates sobre a história e experiências de luta e organização dos movimentos sociais e estudantis em 1968, no Brasil e no mundo;

3) Proporcionar a troca de ideias, experiências de pesquisa e organização social e política entre estudantes, professores, pesquisadores e movimentos sociais.

 

 

 

Justificativa:

Desde a crise de 2008, Marx tem sido um autor revisitado e retomado com força pelos estudiosos e analistas, inclusive pelos apologetas do mercado, que tentam entender as crises recorrentes e as contradições sociais inerentes ao modo de produção capitalista no século XXI. Embora as contribuições teóricas e políticas do pensador alemão tenham atravessado a história, influenciando movimentos sociais, partidos políticos, sindicatos e lutas sociais no mundo todo desde o século XIX, parece que o vigor e a força de seu pensamento nunca foram tão presentes e determinantes na atualidade para a compreensão e explicação das crises econômicas internacionais que vem assolando povos e nações no mundo todo, o que tem suscitado a emergência de formas de luta e resistências contra a subordinação das nações ao império do capital financeiro na sociedade produtora de mercadorias. Por isso, justifica-se a realização do evento não só pela pertinência dos temas que serão tratados e debatidos junto à comunidade acadêmica e movimentos sociais sobre a importância da obra e pensamento de Marx na atualidade, seja para entender os fenômenos e as dinâmicas das crises econômicas das últimas décadas, seja para compreender sociologicamente a emergência das lutas e resistências organizadas pelos povos atingidos pelo capital no mundo todo, mas também porque ele integra um conjunto de atividades e eventos que estão sendo organizados mundialmente, pautando tanto os 200 anos do nascimento de Marx quanto os 50 anos das lutas sociais e libertárias que sacudiram diversos países, no mundo todo, em 1968. Portanto, o Seminário se justifica ainda, porque é a oportunidade da UNIFAL-MG – por meio de parcerias interinstitucionais com a PUCMinas, Campus Poços de Caldas e o Departamento de Ciência Política da UFMG – participar de um circuito de eventos mundiais sobre a temática, promovendo o intercâmbio intelectual e científico entre pesquisadores nacionais e internacionais, estudiosos sobre a obra de Marx e sobre a história e memória dos movimentos sociais e estudantis de 1968.  

 

 

 

Público Alvo

Estudantes de graduação e pós-graduação, docentes, professores e estudantes da rede pública de ensino, profissionais da comunicação, mídia, jornalismo, linguagens; profissionais de psicologia, ciências humanas e sociais, áreas tecnológicas afins, movimentos sociais e estudantis, partidos e sindicatos ou qualquer pessoa que tenha interesse em reflexões filosóficas, políticas e sociológicas sobre a dinâmica do capitalismo na atualidade, bem como suas contradições sociais e formas de luta coletiva e resistências organizadas nos últimos tempos da história contemporânea.


30 Nov 2018 > Ocorrido há 353 dias
05 Nov 2018 - 06 Nov 2018 - 07 Nov 2018 - 08 Nov 2018
09 Ago 2018

Grupos de Trabalhos/Sessões de Comunicações

GT 1 – A Obra Teórica de Marx
Coordenação: Prof. Dr. Luciano Cavini Martorano – ICSA/UNIFAL-MG.
Ementa: Assim como Marx submeteu teorias à sua crítica, sua própria obra não está livre de um exame criterioso a partir de suas próprias categorias. O GT pretende reunir trabalhos teóricos, concluídos ou em andamento, que discutem a obra de Marx e suas possibilidades de leitura, seu estatuto teórico-metodológico e o materialismo histórico e dialético. Serão acolhidos exames críticos acerca das polêmicas suscitadas pela obra de juventude e maturidade de Marx, bem como a atualidade de sua teoria hoje e sua eventual crise.

GT 2 – Capitalismo, Produção, Relações de Classe e Trabalho
Coordenação: Vanessa Tavares de Jesus Dias – ICSA/UNIFAL-MG
Ementa: Partindo da tradição marxiana e marxista, o GT busca reunir pesquisas e trabalhos – teóricos e empíricos – que analisam as transformações do capitalismo, reestruturação produtiva do capital, as novas formas de organização e dominação do trabalho e a nova morfologia da classe trabalhadora. Serão aceitos trabalhos concluídos ou em andamento que abordem temáticas relacionadas à precarização, terceirização e flexibilização do trabalho, as novas formas de assalariamento, discussões sobre as relações classe e raça, classe e gênero, classe e geração, bem como as formas de resistências da classe trabalhadora e suas lutas sociais e sindicais na atualidade.

GT 3 – Marxismo, Gênero, Raça e Sexualidade
Coordenação: Profª Drª Santiane Arias Ribeiro – ICSA/UNIFAL-MG
Ementa: O GT pretende reunir trabalhos teóricos e empíricos que pensam as relações sociais de raça e sexo no capitalismo. Assim, serão acolhidas análises sobre a imbricação entre classe, raça e gênero. Estudos sobre racismo, homofobia e sexismo (relações sociais entre os sexos) são esperados. Reflexões sobre o diálogo entre marxismo e feminismo serão também recebidos.

GT 4 – Democracia, Capitalismo e Estruturas de Poder
Coordenação: Prof. Dr. Gleyton Carlos da Silva Trindade – ICHL/UNIFAL-MG
Ementa: O GT pretende reunir trabalhos teóricos e empíricos que realizem uma reflexão sobre a política, a democracia e as estruturas de poder nas sociedades contemporâneas. Trabalhos que analisem a relação do pensamento de Marx com a política e as análises marxistas sobre as estruturas de poder na sociedade capitalista serão bem vindos. Também serão aceitas reflexões sobre os dilemas e desafios das democracias contemporâneas diante dos poderes econômicos e da hegemonia da razão neoliberal, assim como reflexões sobre formas de democratização da vida social e fortalecimento da democracia para o século XXI.

GT 5 – Globalização, Neoliberalismo e Dependência
Coordenação: Profª Drª Débora Juliene Pereira Lima – ICSA/UNIFAL-MG
Ementa: O GT tem o objetivo de provocar uma reflexão, a partir de orientações teóricas marxistas, acerca das relações econômicas que configuram a dependência em âmbito mundial. Desta forma, a globalização e o neoliberalismo, enquanto processos que aprofundam a dependência das economias periféricas, são temas centrais desse GT. Serão admitidos estudos que abordem: as relações comerciais e a transferência de valor das economias periféricas para as centrais; a abertura e a desregulamentação dos mercados; o imperialismo e o capitalismo dependente.

GT 6 – História, Economia, Desenvolvimento e Ecossocialismo
Coordenação: Prof. Dr. Thiago Fontelas Rosado Gambi – ICSA/UNIFAL-MG e
Prof. Me. José Roberto Porto de Andrade Júnior – ICSA/UNIFAL-MG.
Ementa: A noção de desenvolvimento em Marx está intimamente relacionada à história e à economia. Para realizar sua crítica da economia política, o pensador alemão mergulhou na essência do funcionamento do modo de produção capitalista, sem negar as especificidades de tempo e lugar das formações sociais. Ao borrar a linha entre abstrato e concreto, teoria e prática, os estudos de Marx contribuíram decisivamente para a análise do desenvolvimento das formações sociais capitalistas e para a crítica do mercado, baseado na propriedade privada dos meios de produção, como forma predominante de organização social. As contradições e os limites do modo de produção capitalista passaram a ser considerados intrínsecos ao seu desenvolvimento. As mazelas geradas por essa dinâmica – exclusão social, degradação ambiental, relações de poder assimétricas entre países – suscitam um debate permanente sobre alternativas de organização social, como o Ecossocialismo. São benvindos neste GT trabalhos que tratem de temas relativos 1) ao desenvolvimento do modo de produção capitalista a partir da história e da economia, como mudanças histórico-institucionais, crises econômicas, questões metodológicas, etc. e 2) ao Ecossocialismo, como conflitos socioambientais, crise ecológica e tensões entre capitalismo e proteção do meio ambiente.

GT 7 – Crise, Revolução e Transição ao Socialismo
Coordenação: Prof. Dr. José Francisco Lopes Xarão – ICHL/UNIFAL-MG
Ementa: A proposta do Grupo de Trabalho é estabelecer um espaço de reflexão no qual a correlação entre crise e revolução, tanto no plano teórico das elaborações marxianas e marxistas quanto no plano histórico, sirvam de referência para o debate em torno das formas de transição ao socialismo. Serão admitidos trabalhos no âmbito da filosofia, das ciências sociais, das ciências sociais aplicadas, da história e da teoria crítica que tenham como abordagem central o tema da crise e da revolução na obra de Marx e polêmicas entre marxistas sobre estes tópicos, podendo articular este debate com o problema das formas de transição ao socialismo.

GT 8 – Movimentos Sociais, Educação e Juventude
Coordenação: Profª. Drª. Marta Gouveia de Oliveira Rovai – ICHL/UNIFAL-MG
Ementa: Este GT receberá trabalhos que apresentem reflexões teóricas e metodológicas sobre movimentos sociais de juventude, estudantis, sindicais e feminismos com enfoque para o ano de 1968, em nível nacional e internacional.


ICHL-Unifal

Unifal Marx 200
Luciano Martorano et all.

Resumo (Simples):

Os resumos a serem submetidos para avaliação devem ser escritos em português e obedecer às regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para elaboração de textos científicos conforme as seguintes especificações:

  • O layout da página em tamanho A4, margens esquerda e superior 3cm, direita e inferior 2cm.
  • O título deve vir em caixa alta, negrito e centralizado, com fonte Times New Roman, tamanho 12.
  • Abaixo do título, alinhado à direita, com fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento entre linhas de 1,5cm, deve ser escrito o nome completo dos(as) autores(as), sendo o primeiro nome o do(a) autor(a) principal do trabalho, e os demais nomes dos(as) coautores(as). Deve-se inserir uma nota de rodapé na página, contendo informações acadêmicas dos(as) autores(as) e coautores(as), seguindo a ordem: titulação acadêmica, curso e universidade; e-mail para contato. Para a nota de rodapé, utilizar: fonte Times New Roman, tamanho 10, espaçamento entre linhas simples, justificado.
  • Abaixo do nome do autor, deverá ser indicado de 3 (três) a 5 (cinco) palavras-chave, separadas por ponto.
  • A indicação do Grupo de Trabalho ao qual se submete o resumo deve ser feita logo abaixo da descrição das palavras-chave, tendo escrito o número e o nome completo do Grupo de Trabalho escolhido.
  • O texto do resumo deve ser escrito em parágrafo único, fonte Times New Roman, tamanho 12 na cor preta, de forma justificada, espaçamento entre linhas simples.
  • O texto dos resumos deverá obedecer a um mínimo de 1.500 (mil e quinhentos) caracteres com espaço e um limite máximo de 3.000 (três mil) caracteres com espaço. Preferencialmente, o resumo deverá conter (introdução, referencial teórico-metodológico, resultados e discussão, caso seja pesquisa concluída).

I – UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS – UNIFAL-MG

Grupo de Pesquisa Filosofia, História e Teoria Social

Grupo de Estudos sobre Juventude

Curso de Ciências Sociais – Bacharelado e Licenciatura

Departamento de Ciências Humanas

Instituto de Ciências Humanas e Letras – ICHL/Alfenas

Instituto de Ciências Sociais Aplicadas – ICSA/Varginha

 

II – Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG

CERBRÁS – Centro de Estudos Republicanos Brasileiros

Departamento de Ciências Políticas

 

III – Pontifícia Universidade Católica – PUCMinas, Campus Poços de Caldas

Curso de Especialização “lato senso” Pós Graduação  em Filosofia/Núcleo de Ciências Humanas/Departamento de Filosofia

Grupos de Pesquisa/PUCMinas/CNPq: Cultura, Memória, Sociedade; Filosofia, Religiosidade e suas Interfaces.

 

Apoio/ Fomento: CNPq


FaLang translation system by Faboba