Representação - variações de um conceito
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
nunesdacosta77@gmail.com

II Encontro Internacional do Grupo de Estudos Democráticos

Sobre o tema

Representação - variações de um conceito.

UFMS, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil

24 a 26 de Junho de 2019

www.estudosdemocraticos.com.br

 

A questão da representação é uma questão difícil, uma à qual muitos académicos têm dado atenção nos últimos séculos. Nos dias de hoje, virtualmente todas as democracias contemporâneas são democracias representativas, e não diretas. No entanto, embora o conceito de democracia tenha sido objeto de inúmeras teorias e debates, menos tentativas têm sido feitas para trabalhar analiticamente o conceito de representação. O Conceito de Representação de Hannah Pitkin (1967) abriu a caixa de Pandora, e, depois dessa obra paradigmática, outros teóricos começaram a dar a atenção devida ao conceito de representação no âmbito do paradigma de governação democrática. Os Princípios do Governo Representativo de Bernard Manin (1997), Representação Política de Frank Ankersmit (2002), assim como Democracia Representativa – Princípios e Genealogia de Nadia Urbinati (2006) transformaram as abordagens teóricas e discussões acerca da representação política. No entanto, apesar de recentemente o conceito de representação ter estado no centro de abordagens teóricas e normativas, a relação específica entre representação e democracia permanece por explorar no seu potencial mais amplo. Como diz Castiglione e Pollak, é preciso desvincular a democracia da representação para ganhar perspectivas acerca de o que torna, efetivamente, uma representação democrática (2019). Mas mesmo esta tarefa, de expansão de horizonte conceptual e imaginativo, que nos permite compreender os fenómenos das democracias contemporâneas sob uma outra luz, não é isenta de obstáculos; afinal, também nela se encontra o desdobramento em pelo menos duas perspectivas acerca da representação: a primeira, ‘a guinada representativa’ dentro da democracia democrática, que obriga a repensar a relação entre soberania popular e legitimidade; a segunda, concentrando-se nas operações da representação, isto é, as formas pelas quais representantes e representados se constituem enquanto tal (CASTIGLIONE, POLLAK, 2019: 13).  O objetivo deste II Encontro Internacional é explorar as transformações do conceito de representação, num contexto democrático, assim como suas implicações teóricas e práticas. Alguns tópicos orientadores são: 

  • Como a representação foi conceptualizada na história da filosofia política, explorando potenciais relações com outras áreas da filosofia e afins: representação na literatura, estética, ciência, etc.
  • Relação entre democracia e representação – o que torna a representação política democrática?
  • O papel da representação nas diferentes teorias da democracia – elitista, agonística, popular/populista, constitucional, deliberativa, participativa, entre outras.
  • Democracia, populismo e tecnocracia.
  • Representação, democracia e a questão de género.
  • Representação, democracia e a questão de raça.

Esperamos, com este encontro, explorar as relações teóricas e práticas entre diferentes modelos de democracia, crentes de que uma nova combinação possa contribuir para uma redefinição do paradigma democrático oferecendo novos impulsos para o futuro. Temos um particular interesse em propostas que visem o contexto brasileiro e/ou comparação entre experiências e transformações democráticas contemporâneas, quer dentro da América do Sul quer com outros continentes.

 

II International Meeting of Group of Democratic Studies

 

Representation – Variations of a Concept

Federal University of Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Brazil

June 24-26 2019

www.estudosdemocraticos.com.br

 

 

The question of representation is a difficult one, one of which has become a subject matter of reflection for many philosophers in the past centuries. Today, virtually every contemporary democracy is representative, not direct. However, while the concept of democracy has been object of innumerous theories and debates, fewer attempts have been made to work from an analytical point of view the concept of representation. The Concept of Representation of Hannah Pitkin (1967) opened Pandora's box and since this paradigmatic work other philosophers and political scientists have paid attention to it within the scope and paradigm of democratic government. Principles of Representative Government of Bernard Manin (1997) and Representative Democracy of Nadia Urbinati (2006) transformed theoretical approaches and discussions regarding the concept of representation. However, despite that, there is still a large potential to be explored. As Castiglione and Pollak say in their most recent book Creating Presence (2019), it is necessary to disentangle democracy from representation in order to gain new perspectives about what makes representation democratic. Nevertheless, even this task of expansion of conceptual and imaginative horizon, which allows us to understand recent phenomena of contemporary democracies under a new light, is not free of obstacles. Indeed, one may find at least the unfolding of two perspectives: the representative turn in democratic theory (Nasstrom 2011), which forces us to rethink the relationship between popular sovereignty and legitimacy; and that which focus on operations of representation, i.e., the ways through which representatives and represented constitute themselves as such. (Castiglione, Pollak, 2019: 13). The goal of the II International Meeting of Group of Democratic Studies is to explore the transformations of the concept of representation in a democratic context, as well as its theoretical and practical implications. Some guiding topics are:

 

  • How has the concept of representation been theorized in the history of political philosophy and political theory, exploring potential links with other areas such as aesthetics, literature, science, etc.;
  • The relationship between democracy and representation: what makes of political representation democratic? ;
  • The role of representation of the theories of democracy - elitist, agonistic, popular/populist, constitutional, deliberative, participatory, among others.
  • Democracy, populism and technocracy
  • Representation, democracy and the question of gender
  • Representation, democracy and the question of race

 

We hope with this meeting to explore the theoretical and practical relations between different models of democracy, believing that a new perspective may contribute to a redefinition of the democratic path, offering new impulses for the near future. We have a particular interest in proposals, which focus on the Brazilian context and/or in a comparative perspective between experiences and recent democratic transformations, within South America but also with other continents.

 


24 Jun 2019 > Ocorrerá em 123 dias
24 Jun 2019 - 25 Jun 2019 - 26 Jun 2019
15 Abr 2019

Palestrantes Confirmados:  Prof. Alessandro Ferrara (Universidade de Roma Tor Vergata), Prof. Dario Castiglione (University of Exeter), Prof. Marta Nunes da Costa (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Prof. Ester Heuser (Unioeste), Prof. Helena Esser dos Reis (Universidade Federal de Goiás), Prof. Ricardo Pereira de Melo (UFMS).


Campo Grande, MS
Could not open URL
Marta Nunes da Costa

Submissão de propostas:

 

Enviar propostas com até 500 palavras, preparadas para blind review, e 5 palavras-chave. Informar nome, contato, instituição e uma curta biografia (até 3 linhas) Enviar para: nunesdacosta77@gmail.com

 

Data limite de envio: 15 de Abril de 2019.

Notificação de aceite: 22 de Abril de 2019.


Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPQ


FaLang translation system by Faboba